Home » » Crítica: Caminhos da floresta

Crítica: Caminhos da floresta


Caminhos da floresta (Into the Woods, 2014 - 125 minutos) é a nova aposta da Disney desde que descobriram esta nova forma de recontar contos de fadas e desenhos clássicos infantis de uma forma mais "adulta" e moderna usando atores reais (o que chamamos de "live-action"). Desta safra já tivemos, entre outros, Branca de Neve e o caçador, A garota da capa vermelha, Jack e o caçador de gigantes (o aviso vale para esse filme também: vários nomes clássicos são diferentes nas versões americanas. Jack é o João do pé de feijão daqui), João e Maria caçadores de bruxas, o recente Malévola e ainda esse ano teremos Cinderella. 

Nesse longa, a salada de personagens da vez são alguns dos contos clássicos dos irmãos Grimm. Aqui temos Chapeuzinho Vermelho (Lilla Crawford), João-do pé de feijão (Daniel Huttlesotne), Cinderella (Anna Kendrick), e o príncipe encantado(r) (Chris Pine) e Rapunzel (Mackenzie Mauzy). Os personagens são BASEADOS nas histórias como conhecemos, portanto não espere nada de fidelidade aos originais. O sapatinho da Cinderela, por exemplo, é de ouro, ao contrário do cristal do desenho. 

Na verdade, são mais referências ao que conhecemos do que uma releitura das histórias. Isso porque o foco principal está no padeiro (James Corden) e sua esposa (Emily Blunt), que descobrem não poder ter filhos devido a um feitiço de uma bruxa (Meryl Streep) lançado sobre sua família, e que para desfazê.-lo precisará de alguns artefatos, que estão com os já citados personagens. Alguns são bem ativos na história, outros são apenas coadjuvantes. Nesse ponto, ficou bem original.

Mais um aviso válido: quem só viu os trailers tem uma visão errada do que esperar do longa. O filme é um MUSICAL. Portanto, quem não gosta do gênero, nem vá. Não é inteiramente cantado, mas também não é um filme com musiquinhas no meio (como estamos acostumados com os desenhos da Disney). Criado originalmente para uma produção da Broadway (em 1987) vencedora de vários prêmios, tem músicas legais, mas na minha opinião nenhuma música é o que chamamos de épica ("Frozen" está aí para compreender melhor o que isso significa). Quando nenhuma música de um musical é indicado para o Oscar, acho que algo não saiu como planejado... Mas, repito, nenhuma música é ruim. Apenas não está no padrão que estamos acostumados.

Não que o filme seja ruim. É bem feito, bem filmado, tem um bom elenco. Foi indicado a três categorias no Oscar (atriz coadjuvante para Meryl Streep, Design de produção e Figurino). O problema é que, pelo marketing que se criou, se esperava bem mais do filme do que um "OK, é legal". Infelizmente, não empolga como deveria.

Após um início de quase intermináveis into the woods, é legal ver como as histórias vão sendo ligadas. Agora, se me permitem um spoiler básico, continue lendo... o que fez com que o filme perdesse pontos pra mim foi o seu "primeiro" final. Parece até que a Disney está querendo mesmo se esforçar em mostrar que não existem finais felizes para sempre, príncipes encantados e contos de fadas, inserindo mais uns 30 minutos que ficaram cansativos e desnecessários. Se tivesse terminado naquele ponto, ficaria de bom tamanho, por mais cliché que fosse. A gente já sabe que contos de fadas não existem, não precisa forçar esse papel social de deixar isso claro para a sociedade. Na verdade isso gerou bastante polêmica, pois temos vários defensores desse último ato, dizendo que realmente é necessário mostrar que nem tudo são flores, que a vida é assim mesmo, e na verdade os contos originais dos irmãos Grimm são bem diferente das adaptações bonitinhas que a Disney criou. Por mais que eles tenham a sua parcela de razão, continuo achando que essa quebra de estilo deixou o filme cansativo. 

Aliás, sobre o elenco, algumas notas rápidas. Johnny Depp faz uma participação "afetiva" como o Lobo da Chapeuzinho. Está lá mais para dizer que participou do filme. Meryl Streep é maravilhosa. Não tem ninguém que curta cinema que não saiba disso. Este papel lhe rendeu sua 19ª indicação ao Oscar. E realmente é quem atua melhor e em vários momentos segura o filme. Mas, sinceramente, ela não merece ganhar. Ela é maravilhosa SEMPRE. Se for assim, todo filme que ela fizer terá que ser indicada. Musical por musical com Meryl Streep, ainda prefiro Mamma Mia.


 

P.S. Tadinha da Rapunzel. Nem foto de divulgação tem de tão coadjuvante que foi tratada.

0 comentários:

Postar um comentário

Bem-vindo!

Sou um colecionador de dvds e criei este blog para compartilhar minhas opiniões e críticas pessoais com demais apreciadores de filmes. Seus comentários são mais do que bem-vindos.

No catálogo acima encontra-se a relação de todos os meus filmes, contendo sinopse, elenco e demais dados técnicos. É só clicar na palavra "catálogo".

Lembrando que os filmes aqui listados não estão disponibilizados para download.

Arquivo do blog


eXTReMe Tracker

Tecnologia do Blogger.
 
Copyright © 2015 Coluna do Leocasillo - DVDTeca
Adapted By denisfln