Home » » Crítica: Velozes e Furiosos 6

Crítica: Velozes e Furiosos 6

Desde que Dom e Brian dizimaram o império de um chefão da máfia no Rio de Janeiro, sua equipe faturou US$ 100 milhões. Enquanto isso, Hobbs tem acompanhado por 12 países uma organização de pilotos mercenários mortalmente qualificados, cujo mentor Owen Shawn é auxiliado por Letty - que Dom achava estar morta. Hobbs pede ajuda a Dom e sua equipe de elite para ajudar a pegar os criminosos, em troca de retirar todas as queixas de seus crimes para que eles possam voltar para casa.

Se você curte a franquia V&F e, sobretudo, gostou do 5º filme que se passou no Brasil, vai gostar bastante deste novo Velozes e Furiosos. Basicamente, misture algumas coisas dos demais filmes da franquia, um pouco de G.I.Joe (tirando os equipamentos high-tech), a equipe e o humor da franquia 11/12/13 homens e um segredo e Uma saída de mestre, e você terá o enredo de V&F6.

O filme novamente cumpre o que promete no que se propõe, que é encher a tela de cenas de ação, carros e pessoas bonitas. Pode esperar corridas em alta velocidade, tiros, explosões, diálogos clichés e frases de efeito (às vezes sem muito efeito), e - como sempre - cenas fisicamente impossíveis de acontecer. Considerando que você provavelmente não vai conferir o longa esperando diálogos Shakespeareanos ou ver um episódio de uma série policial qualquer, é óbvio que você não está se importando nem um pouco com exageros (como uma pista de pouso enoooooorme), coincidências e demais coisas impossíveis. Traduzindo, assista o filme sem nenhum compromisso, com o cérebro desligado e curta o que aparecer na tela sem se preocupar com a física ou a realidade. Deixe a razão e o senso crítico de lado e o filme vai funcionar perfeitamente.

O elenco também continua no ponto certo para as cenas de ação ou humor. A equipe de Dom Toretto (Vin Diesel) está bem distribuída, sendo que todos os atuais membros já apareceram em filmes anteriores da franquia, alguns na época apenas em participações especiais, mas agora TODOS tem seu espaço em tela e participam ativamente de cenas de ação em carros, motos e lutas. Aproveito para ressaltar que se você nunca viu nenhum V&F, vai conseguir curtir o filme na boa como um bom filme de ação, mas para uma "experiência completa" e entender tudo o que se passa, até mesmo para lembrar dos personagens nos filmes anteriores, seria legal assistir os demais filmes, ou pelo menos o quinto filme - que se passa no Brasil.

 Fazem parte dos mocinhos, além de Toretto, seu parceiro Brian (Paul Walker) e sua esposa Mia (Jordana Brewster), o japonês Han (Sung Kang) e sua namorada Gisele (Gal Gadot) e a ótima dupla Tej (Ludacris) e Roman (Tyrese Gibson). Se juntam ao time dos mocinhos Hobbs (Dwayne The Rock Johnson, ainda mais fortão do que de costume) e sua parceira Riley (Gina Carano, estrela do MMA),  protagonista de duas cenas de luta feminina contra Letty (Michelle Rodriguez) bem interessantes - esqueça o fato de que você tem certeza absoluta que são dublês já que nunca aparece o rosto das duas quando estão apanhando. A única com apenas uma pequena participação é Elena (Elsa Pataky). O time dos bandidos é composto por Owen Shawn (Luke Evans, como cara de vilão), e Letty (se você viu o trailer, já sabe que ela não morreu. O filme só ocorre mesmo por causa disso. Mas não espere uma justificativa plausível pra isso), a loira - sempre tem que ter uma - Vegh (Clara Paget), o oriental lutador Jah (Johannes Taslim) e o grandalhão Klaus (Kim Kloud), o único rival à altura e tamanho de The Rock. Contrariando os rumores, nada de Rihanna no filme.

O que eu percebi ao final da exibição é que a franquia está realmente seguindo um novo caminho, o que realmente era de se esperar para garantir renovação e fôlego para uma sequência de 6 filmes e sabe-se lá quantos mais por vir. As características principais do filme - carrões e velocidade - continuam, mas os "pegas" não estão mais como parte central da trama. Não são mais apenas jovens irresponsáveis correndo, o que os próprios personagens fazem questão de afirmar no filme. E essa maturidade dos personagens se reflete no próprio filme, que possui todos os elementos necessários de filmes de ação, assalto e perseguição policial. E a julgar pelo final, vão conseguir prender nossa atenção novamente, garantir a adrenalina e a ansiedade pelo sétimo filme.
Nota: Sim, existe uma cena após o filme acabar, mas é praticamente assim que termina a " cena final". Somente mesmo para fazer a maioria se levantar e sentar novamente.

0 comentários:

Postar um comentário

Bem-vindo!

Sou um colecionador de dvds e criei este blog para compartilhar minhas opiniões e críticas pessoais com demais apreciadores de filmes. Seus comentários são mais do que bem-vindos.

No catálogo acima encontra-se a relação de todos os meus filmes, contendo sinopse, elenco e demais dados técnicos. É só clicar na palavra "catálogo".

Lembrando que os filmes aqui listados não estão disponibilizados para download.

Arquivo do blog


eXTReMe Tracker

Tecnologia do Blogger.
 
Copyright © 2015 Coluna do Leocasillo - DVDTeca
Adapted By denisfln