Home » » A resistência das locadoras

A resistência das locadoras

"Com o advento da tecnologia..." Quem já leu qualquer artigo ou publicação científica na área de computação certamente viu essa frase iniciar o texto. Essa introdução cabe perfeitamente no assunto de hoje. A tecnologia praticamente está tornando extinto um dos mais tradicionais segmentos do comércio: as locadoras de filmes.

Em primeiro lugar, um leitor e gravador de DVD hoje custa menos do que um filme custava (sendo que algumas lojas ainda insistem em manter os preços elevados mesmo nos dias atuais). O sucessor do DVD, o Blu-Ray, também está em queda livre, ao ponto em que um aparelho leitor dessa mídia já custe o mesmo preço de um leitor de DVD há uns 2 ou 3 anos, e um filme nesse formato que até pouco tempo dificilmente era encontrado por menos de R$ 100,00 hoje já pode ser comprado por R$ 12,90 ou mesmo R$ 9,90 em algumas promoções na internet.

O fator primordial para a queda destes estabelecimentos é, na minha opinião, a pirataria. É preciso tomar cuidado ao andar em qualquer calçada para não tropeçar em pilhas de dvds piratas sendo vendidos livremente nas ruas. E não importa mais qualidade ou "apresentação" do material. Hoje você compra 3 filmes em um único disco por uma média de R$ 2,00, chegando ao cúmulo do filme ser vendido em sacos plásticos. A que ponto chegamos.

O mais novo arqui-inimigo das locadoras são os "streamings", downloads de filmes pela internet e as locadoras virtuais. Lojas on-line como a Saraiva já disponibilizam filmes para locação digital. Mesmo a Blockbuster, considerada a maior empresa de locação mundial, já se rendeu ao mundo virtual e fechou suas lojas físicas. Serviços como Netflix, Netmovies e outros Pay-Per-View similares oferecem a comodidade de você assistir um filme direto da sua TV apenas apertando alguns botões no seu controle remoto e acessando a internet. Nos EUA, existem até serviços de locação por correspondência. 

O formato digital realmente facilitou a vida de quem curte filmes, mas pra isso é necessária uma boa conexão com a internet, e aqui no Brasil isso não é para todos. Para regiões como Mossoró-RN, na qual temos que conviver com a extorsão de empresas que cobram R$ 50,00 por míseros 600 KB de conexão banda larga - quando bem próximo, em Natal-RN, temos combos tv, telefone e internet de até 10 MB por R$ 40,00 - fica mais difícil aproveitar a tecnologia de streaming e assistir filmes pela internet sem travamentos e com boa qualidade. E estudos já comprovaram que, mesmo assistindo filmes via internet em alta definição, a qualidade do Blu-Ray ainda é melhor. Para os que utilizam esta prática, também não são todos os brasileiros que tem paciência para fazer download de filmes pela internet com boa velocidade de conexão. Outra dificuldade local é que inexplicavelmente ainda não chegou a TV digital aberta por aqui.

Outra prática utilizada pela indústria do entretenimento é diminuir a janela entre um filme em cartaz nos cinemas e sua exibição em home-vídeo. Um filme antigamente demorava de 2 a 3 anos para ser exibido na TV. Hoje o prazo é de menos de 6 meses. Até mesmo para a TV aberta esse tempo de espera diminuiu bastante. 

Então por que ficar triste com o fim das locadoras? Porque as locadoras são o parque de diversões dos cinéfilos. Mesmo para nós colecionadores, que adoramos comprar filmes, costumamos frequentar locadoras, seja para ver novos lançamentos, procurar raridades, conferir um filme se é bom ou não antes de comprá-lo, comprar filmes semi-novos que não encontramos mais à venda em lojas ou sebos, ou mesmo para um bate-papo cabeça com os oráculos dos amantes de filmes: os donos das locadoras. Pra um bom cinéfilo, uma locadora é equivalente a uma loja de sapatos para o público feminino. 

Também parto em defesa das locadoras pedindo que as pessoas busquem a qualidade de um filme em detrimento do preço. Muitas pessoas só gostam de assistir determinado filme uma única vez, apenas para conhecer ou dizer que já viu. O que é melhor, comprar um produto pirata de péssima qualidade, arriscado até a ver uma versão filmada diretamente do cinema, com cabeças levantando e ocultando as legendas ou alugar o mesmo filme com uma qualidade de áudio e vídeo infinitamente superior? 

Para comprovar a questão da qualidade de um DVD. A capacidade de armazenamento de dados nessa mídia é de 4.7 GBytes. Muitas produtoras utilizam filmes de camada dupla, com cerca de 9 GBytes, para gravação. Se você gravar esse filme em um DVD-R comum, que somente grava em camada simples, vai perder muita qualidade do filme para poder armazenar nesta mídia. Geralmente são retirados os áudios em 5.1 ou DTS ou então utilizadas técnicas de compressão de imagens com perdas de qualidade. E isso em alguns casos faz muita diferença. Para Blu-Rays, com sua capacidade de armazenamento de 25 GB e de 50 GB em camada dupla, vale o mesmo. 

Os Blu-Rays foram inicialmente uma chance das locadoras se reerguerem. Mas já estão começando a surgir Blu-Rays piratas. Aviso logo, os leitores de Blu-Rays são muito mais sensíveis que os leitores de DVD. Palavra de quem já teve um leitor queimado, isso porque nunca ousei colocar nenhum filme pirata pra rodar no meu aparelho de Blu-Ray. Se for comprar Blu-Ray pirata, assuma os riscos. 

Conversando com o Sr. Ivanaldo, da TeleVídeo Locadora, ele me disse que realmente o público vem caindo a cada ano. Por isso se a empresa ainda quiser se manter viva, é importante trazer os melhores lançamentos (mesmo com as distribuidoras continuando a adotar preços abusivos de vendas para as locadoras - os chamados Rentais. O filme chega para as locadoras antes da venda de varejo, mas a um custo bem maior). Também é importante ter no seu acervo filmes em Blu-Ray e seriados (alguns impossíveis de se comprar para coleção em virtude de outra tática condenável: vender as temporadas divididas em volumes, com cada volume custando o valor de uma temporada completa). Também é necessário muitas vezes diversificar o negócio. Esta locadora, por exemplo, também trabalha com impressão, xerox e digitação. 

Em resumo, tirando a questão da pirataria sem a mínima qualidade, não condeno as outras práticas e acho ótimo que as pessoas tenham cada vez mais opções de poder usufruir desta forma de entretenimento. Só acho que todas estas opções podem conviver. Sei da lei de mercado, "seleção natural" e a lei do mais forte, mas é uma pena ver as locadoras, que desde a nostálgica época do VHS faziam parte da vida e cotidiano das pessoas, fechando as portas. Não sou advogado nem sócio de nenhuma locadora, mas espero ter apresentado os motivos que penso para que elas possam continuar se mantendo no mercado. Para nós, público-alvo, quanto mais opções tivermos, melhor pra todos.

São poucas as locadoras que ainda sobrevivem em Mossoró-RN. Fica a dica da locadora do Ivanaldo (sem nenhum fim lucrativo): Televídeo Locadora - Rua Venceslau Brás 1189 Barrocas, Mossoró-RN. Fone: (84) 3318-0011. 

1 comentários:

  1. PARABÉNS PELO SEU COMENTÁRIO,SOU PROPRIETÁRIO DA LOCADORA DVD MANIA EM SÃO LOURENÇO DO SUL;RS COM 5.000 TÍTULOS E ESTOU SENTINDO NA PELE O RESULTADO DA PIRATARIA.CONCORDO PLENAMENTE COM SUAS PALAVRAS.UM ABRAÇO,LUIZ.

    ResponderExcluir

Bem-vindo!

Sou um colecionador de dvds e criei este blog para compartilhar minhas opiniões e críticas pessoais com demais apreciadores de filmes. Seus comentários são mais do que bem-vindos.

No catálogo acima encontra-se a relação de todos os meus filmes, contendo sinopse, elenco e demais dados técnicos. É só clicar na palavra "catálogo".

Lembrando que os filmes aqui listados não estão disponibilizados para download.

Arquivo do blog


eXTReMe Tracker

Tecnologia do Blogger.
 
Copyright © 2015 Coluna do Leocasillo - DVDTeca
Adapted By denisfln