Home » » Crítica: O Espetacular Homem-Aranha

Crítica: O Espetacular Homem-Aranha

Olá,
Hoje o tema é sobre O Espetacular Homem-Aranha, o mais novo reboot de filmes de super-heróis. Antes de começar, vale a lembrança: apesar de ser um personagem da Marvel, os direitos do personagem estão nas mãos dos executivos da Sony Pictures, e - se não foi o principal - é um dos motivos que fez o famoso cabeça de teia ficar de fora d'Os Vingadores. O título também não é nenhum exagero quanto ao herói, na verdade é o título real dos exemplares dos quadrinhos. Outra informação importante: já fiz anteriormente a crítica dos três filmes anteriores (links abaixo), então para poder compreender melhor algumas partes deste texto, seria bom dar uma lida se você não se lembra bem da história ou dos atores.

O Espetacular Homem-Aranha é o início de um projeto que pretende uma nova trilogia, sem depender dos filmes anteriores lançados pela própria Sony. Para isso, tudo foi alterado: diretor, elenco, história, etc. Claro que os executivos sabiam que somente o fato de termos novamente o Homem-Aranha nos cinemas já era motivo suficiente para lotar sessões, vender dvds, blu-rays, bonecos, produtos licenciados e fazer mais rios de dinheiro. Então pra que se preocupar com o fato de que o primeiro filme foi lançado a apenas 10 anos (2002), e o terceiro filme apareceu nos cinemas a 5 anos (2007). O marketing gerado para este longa foi o tema "A História Não Contada". O diretor Mark Webb assume o posto, Andrew Garfield assume a máscara e Emma Stone se torna Gwen Stacey. É a partir daqui que começo minha opinião sobre o filme.

Quem conhece o Homem-Aranha dos quadrinhos já está cansado de saber sua origem clássica. Também é sabido que existem algumas outras versões lançadas nas HQ's (como a versão Ultimate) ou mesmo desenhos animados em que sua história muda bastante. Estamos acostumados a ver mortes, renascimentos, histórias que são simplesmente apagadas (como o arco do casamento com a Mary Jane) ou deixadas de lado para que possam ser contadas outras histórias e manter vivo o personagem para os que já conhecem a história ao mesmo tempo em que os mais jovens também passam a se interessar - visto que não precisariam correr para as edições de 1970 ou antes para poder entender tudo o que se passa atualmente. O site IG mostrou uma excelente matéria sobre a origem do aranha nos quadrinhos, na qual compartilho aqui (favor não me processem, citei a fonte e os direitos autorais). Esta imagem possui informações consideradas spoilers pra que nunca ouviu falar da história original. (clique pra ampliar)


"Reboot" em alguns casos é até legal, e posso citar como exemplo a nova trilogia do Batman, que devolveu a dignidade que o personagem merece após a humilhação sofrida em "Batman e Robin", do diretor Joe Schumacher. Outro que merece reiniciar do zero é o Quarteto Fantástico. Mas no caso de um herói tão famoso e querido por milhares de pessoas, é difícil mexer em alguma coisa sem provocar a ira de seus fãs. Quando o filme é bem-feito, alterações na história original até que são encaradas numa boa. O ótimo Homem-Aranha de 2002 (crítica antiga AQUI) é um bom exemplo disso. Na época que foi lançado, muita coisa estava diferente. (Mary Jane no lugar da Gwen, a famosa cena da ponte alterada, as teias naturais, etc). Muita gente no início achou ruim. Mas o filme ficou tão legal que ganhou o público. Além de cenas de ação de grande impacto, contribuíram também pra isso os atores que estavam bem convincentes em seus papéis. Apesar de perder o humor ácido dos quadrinhos, Tobey Maguire ficou muito bem de Peter Parker.

O seu sucessor, Homem-Aranha 2 em 2004 (crítica AQUI), não apenas repetiu a façanha como conseguiu melhorar ainda mais o universo aranha nos cinemas, já que não tinha mais necessidade de explicar origens e ficou livre para contar uma verdadeira história de aventura como se fosse uma aventura de revista em quadrinhos filmada com atores reais (e muita computação gráfica). Infelizmente a ganância dos produtores amarraram as mãos do diretor Sam Raimi e forçaram a inclusão de quem não devia para o terceiro filme e o resultado foi o desastre chamado Homem-Aranha 3 em 2007 (crítica AQUI). Sam Raimi deixou a direção e o fracasso resultou no que já comentei no primeiro parágrafo.

Particularmente, achei que tomaram a pior decisão possível. Tudo bem trocar o elenco (isso acontece) mas recontar uma história tão recente nos cinemas, com alterações que na maioria das vezes não funcionaram, tão cedo? Por que não simplesmente contar uma outra história do aranha, como fizeram com o filme 2? Pelo visto, quiseram misturar a história original com uma nova série de desenho animado que mostra o Peter Parker adolescente. Mas ficou adolescente demais. Investiram pesado no romance de Peter e Gwen e deixaram muita coisa importante de lado. Teve momentos no filme que achei que Peter e Gwen iam dar as mãos e cantar alguma música no melhor (ou pior) estilo High School Spider Musical. 


Parágrafo cheio de SPOILERS, favor pular o parágrafo se não gosta de saber informações, necessárias para completar a crítica: Continuando, nunca ouvi falar que os pais de Peter trabalhavam na Oscorp. Imagino que isso será explorado nos próximos filmes mas já tenho medo do que vem por aí. A motivação de Peter para virar o homem-aranha aqui ficou MUITO pior do que a vista no primeiro filme (sobre a morte de Tio Ben). Cadê a famosa frase de Grandes poderes e grandes responsabilidades??? Conseguiram alterar até isso? A história das lutas pra ganhar dinheiro foi alterada para uma cena de inspiração para criar a máscara? Peter Parker andando de skate?  Mostraram Peter inteligente, mas ele é NERD! Coisa que Tobey conseguiu caracterizar perfeitamente, mas faltou no Garfield. E por último, conseguiram acabar com a força do personagem da Tia May. Ah, e poupe seu dinheiro e assista em 2D.


Nem tudo ficou ruim. O vilão Lagarto ficou bem caracterizado visualmente. Os lançadores de teia ficaram fiéis aos quadrinhos. Algumas cenas de ação são boas. E Emma Stone está perfeita como Gwen Stacey. É a melhor personagem da história, a que mais se parece com a sua referência nos quadrinhos e realmente faz com que o público torça por ela. Ainda mais porque o terceiro filme (mais um ponto negativo) tentou inserir a personagem a força, destruindo qualquer cronologia que ainda restava. Gwen sempre foi o primeiro amor do aranha, com a Mary Jane vindo depois. A personagem ficou tão forte que, se você viu a imagem do site da IG acima e sabe o destino que provavelmente está reservado pra ela, com certeza ficará com nó na garganta quando (e se) tal fato se concretizar. Já que quiseram jogar a trilogia original no lixo, que contem o restante da história direito, nem que pra isso tenham que repetir vilões (estratégia que os estúdios não gostam muito mas que acho difícil ignorar nesse caso). Aguardemos então o Duende Verde e o que mais possa aparecer de bom.  


Tal como a Saga Crepúsculo, imagino que esse seja um filme que foi necessário existir para que o capítulo final da trilogia valha a pena. No final, é até um filme bom, mas poderia ter sido MUITO BOM se não tivessem recontado a origem. E poderia ser ÓTIMO se não tivessem existido os dois primeiros filmes. Funciona melhor para quem não entende bem de quadrinhos e da história que realmente já foi contada. 

 



 


PS: Não levante no final da cadeira se quiser ver uma ceninha de 10 segundos, que só te deixará com mais dúvidas do que vem por aí.

3 comentários:

  1. Perfeitas palavras amigo e professor Casillo =D, eu gostei do filme como um bom filme de ação mesmo tendo todo aquele romance, mas como admirador do Aranha também achei fraco e deixando a desejar. Entre os pontos que sitou, alguns que tiveram grande peso na minha opinião: A motivação do Peter, a falta da frase que todo mundo quis ouvir e não saiu, esse Peter descolado demais e skatista (de onde já se viu isso...) e esse lance de passado de Peter e dos pais ficou com muita corda sem ponta. Adorei toda a crítica, abraço!

    ResponderExcluir
  2. Brááá!!
    Gostei da crítica... concordo plenamente que se tornou uma estória bem adolescente (apesar de eu ser uma adolescente e não ter me agradado tanto =P).
    Valeu muito a pena vê-lo em 3D, achei ótima a produção.
    Agora é aguardar os próximos!

    ResponderExcluir
  3. mas é o primeiro filme! vamos ver o segundo, que geralmente acertam a sequencia! iniciar uma nova franquia tão cedo é arriscado mas vamos ver no que vai dar... eu acredito que melhore em tudo no 2, em 2014!!! vamos esperar!!!

    ass. lazzo

    ResponderExcluir

Bem-vindo!

Sou um colecionador de dvds e criei este blog para compartilhar minhas opiniões e críticas pessoais com demais apreciadores de filmes. Seus comentários são mais do que bem-vindos.

No catálogo acima encontra-se a relação de todos os meus filmes, contendo sinopse, elenco e demais dados técnicos. É só clicar na palavra "catálogo".

Lembrando que os filmes aqui listados não estão disponibilizados para download.

Arquivo do blog


eXTReMe Tracker

Tecnologia do Blogger.
 
Copyright © 2015 Coluna do Leocasillo - DVDTeca
Adapted By denisfln